quinta-feira, 31 de julho de 2008

Oito milhões de suspeitos


Soldado, aprende a tirar:
tú no me vayas a herir,
que hay mucho que caminar.
¡Desde abajo has de tirar,
si no me quieres herir!

Abajo estoy yo contigo,
soldado amigo.
Abajo, codo con codo,
sobre el lodo.

Para abajo, no,
que allí estoy yo.
Soldado, aprende a tirar
:tú no me vayas a herir,
que hay mucho que caminar.

Soldado aprende a tirar, de Nicolás Guillén
Foto de Carles Ribas de um acampamento cigano nos arredores de Roma

A palavra comunidade que nomeia o status político europeu está esvaziando de conteúdo. O governo Berlusconi, que cada dia parece mais com um patético Mussolini do novo século, anunciou que vai colocar três mil soldados nas ruas das principais cidades italianas.
Mais uma vez, em nome da segurança o estado italiano aperta o cerco contra os imigrantes chamados ilegais. Segundo anunciado pelas próprias autoridades, serão especialmente vigiados os "centros de retenção", construções precárias onde, de acordo com a nova lei, os sem papeis podem ficar detidos até 18 meses sem processo.
Curioso é que a velha Europa, agora orgulhosa e medrosa, é um continente de emigrantes. Milhões de europeus partiram nos séculos dezenove e vinte fugindo da fome e das guerras.
Uma comunidade para merecer tal nome, precisa respeitar valores fundamentais.
Oito milhões de pessoas na Europa são hoje suspeitos a priori pelo fato de serem estrangeiros, desconhecendo garantias e leis básicas, como a Convenção dos Direitos dos Imigrantes da ONU.
Essa luta continua.

Assine contra os centros de detenção de imigrantes na Europa
Assine contra a perseguição de ciganos na Itália

5 comentários:

Letícia Castro disse...

Juuuu! Quanto tempo!!
Vc sabe, eu vou fazer um post sobre o lance dos ciganos na Itália. Vou fazer menção a tua campanha, não vamos nos calar não.
Beijo, amigo!
Letícia.

Monika Baumann disse...

Oi! Tem presente pra ti lá no Toques. Bjuuu

http://monikabaumann.blogspot.com/2008/07/reconhecimento-sempre-um-prazer.html

ronaldju disse...

Juan, essa disucssão é fundamental nos dias de hoje. Por isso não engulo o pastel de vento dos discursos de palanque como do Barak Obama, independente de avaliar se é bom ou mau candidato. O cara falar em derrubar muros e há o problema da fronteira Eua x Mexico. Quem globaliza quem? Ou o que? Tu podias propor umm dia para todos blogarmos sobre o que são fronteiras e muros. Com certeza não haverá unanimidade dos dihhitianos, mas há gente legal na comunidade que toparia. Eu topo.
Abração,

Ronaldju

Juan Trasmonte disse...

Achei legal essa tua idea Ronaldju. Eu acho que o mundo precisa mesmo essa discussão. Bom, na Europa vc vê como a bomba estourou entre as mãos.
Eu não sou muito expert nesse negócio, nem sei direto como se propõe uma blogagem coletiva.
Abs.

ronald disse...

Juan, mandei torpedinho pelo dihitt. Sabe que estou achando esquisito o IE não abrir minha página. Será alguma censura...nem quero entrar nessa nóia de perseguição, mas o fato é que abro outras páginas, menos a minha...bom, prefiro pensar outra coisa...se encher o saco, saio do imarginálico e vou fazer outras coisas. Abração, amigo.