sábado, 5 de julho de 2008

O Metropolis que nunca vimos






Foi anunciada essa semana na Argentina a descoberta no Museo del Cine de Buenos Aires Pablo C. Ducrós Hicken da versão completa do clássico Metropolis, do diretor austríaco-germano Fritz Lang.
Até agora considerava-se perdida a versão original do filme mudo que foi estreado em 1927 na Alemánia com sua metragem original. Pouco depois, passou a exibir-se uma versão abreviada. Acontece que essa versão foi a que ficou na Alemánia e que também foi distribuída na Europa e nos Estados Unidos. Mas pra Argentina tinham enviado a inicial de duas horas.
O achado é o resultado de um trabalho de pesquisa da diretora do museu Paula Félix Didier e do pesquisador Fernando Martín Peña. "Quando demos a notícia, na Alemánia não acreditavam na gente." disse ela.
Peça fundamental do cinema de todos os tempos, Metropolis é considerada a primeira obra do gênero de ficção científica. Em sua grandiosidade, a obra de Lang mostra a luta do indivíduo contra o capital.
A última restauração do filme tinha sido feita em 2002. Com o negativo em 16 mm achado agora, Metropolis recupera vinte e cinco minutos para uma nova reconstituição e apresentação.
Pois é, o que tem de bom o juízo final da história é que as vezes muda o final.

3 comentários:

Roseane, disse...

Que bom. Gostei do teu blog.

Juan Trasmonte disse...

Muito obrigado, Roseane
Abs.

Roberto J® disse...

Fico muito feliz de saber disso. Adoro cinema e sou grande fã de Fritz Lang.