terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

Vinte curiosidades da história do Oscar


Alfred Hitchcock jamais ganhou o Oscar


Charles Chaplin também não


O homem que atravessou nu o palco enquanto
David Niven e Liz Taylor apresentavam
o prêmio de melhor filme


Era para Marlon Brando receber. Foi um escândalo.


O Oscar, assim como o Grammy, é uma celebração da auto-referência. A indústria premia à indústria. Para quem não entende inglês é difícil acompanhar, pois a tradução simultânea atrapalha mais do que ajuda. E uma premiação longa e tediosa. Porém, a cada ano é uma das transmissões televisivas de maior ibope, a festa é assistida por milhões de espectadores.
Antes de uma nova edição, deixo aqui uma seleção de pérolas, curiosidades, omissões e escândalos.

1. Cidadão Kane (1941, de Orson Welles), considerado pela maioria dos críticos e estudosos do cinema como o melhor filme da história, apenas ganhou o Oscar de melhor roteiro.

2. A primeira festa foi em maio de 1929 e durou... sete minutos! Os ganhadores já haviam sido anunciados em fevereiro e as radios apenas noticiaram o evento. Já em 1985, a duração foi de três horas e quarenta minutos.

3. Em 1943, a atriz vencedora Greer Carson fez um discurso de uma hora para pedir contribuições financeiras dos artistas para a guerra. Desde então, os discursos dos triunfadores foram limitados pela organização. Atualmente, se passarem de 45 segundos, acende uma luz vermelha na frente deles.

4. Em 1944, Ingrid Bergman não foi indicada por Casablanca e sim por Por quem os sinos dobram. Mesmo assim o Oscar foi para Jennifer Jones. A música do filme, a hoje clássica As time goes by, também foi ignorada.

5. Esses são alguns dos grandes nomes que jamais receberam o Oscar: Alfred Hitchcock, D.W. Griffith, Charles Chaplin, Greta Garbo, Buster Keaton. Com o passar do tempo, a Academia inventou o Oscar de honra para reparar as omissões.

6. A famosa música de Mikis Theodorakis do filme Zorba perdeu para Chim-Chim-Cher-E-E, do Mary Poppins. Foi em 1964. Pior sorte teve Mrs. Robinson, de Simon and Garfunkel para o filme homônimo (No Brasil, A primeira noite de um homem): nem foi indicada em 1967. Ganhou Talk to the Animals, do Doutor Dolittle.

7. Em 1971, depois de rejeitar a sua candidatura, George C. Scott não se apresentou para receber o Oscar pelo filme Patton.

8. Em 1973, enquanto David Niven apresentava os candidatos de uma categoria, um nudista passou por tras dele. A cena foi vista por televisão no mundo inteiro.

9. Em 1977, com Pasqualino Sete belezas, a diretora italiana Lina Wertmüller consegue ser a primeira mulher indicada ao Oscar de melhor direção.

10. Em 1957, o prêmio de melhor argumento vai para Robert Rich por O menino e o touro, mas ninguém foi receber a estatueta. Poucos dias depois, soube-se que o tal Rich era na verdade Dalton Trumbo, o grande escritor incluído nas célebres listas negras.

11. Em 1969, o assassinato de Martin Luther King obrigou a adiar 48 horas a festa dos Oscar.

12. Em 1973, Marlon Brando não foi receber o prêmio correspondente ao filme O poderoso Chefão. No lugar dele, envia uma representante dos povos indígenas, que discursa em protesto pelo maltrato aos seus pares. Anos depois, soube-se que a “índia” era na verdade uma atriz chamada María Cruz.

13. Em 1978, o filme Momento de decisão foi indicado em onze categorias. Não ganhou nenhuma. Voltou a acontecer em 86, com A cor púrpura, de Steven Spielberg.

14. Katharine Hepburn, com quatro estatuetas, é até hoje a campeã no quesito melhor atriz principal.

15. Em 1984, o roteirista Robert Towne, revoltado com as mudanças introduzidas no seu texto para Greystoke, decidiu assinar o roteiro com o nome do seu cachorro: P.H. Vazak. Consta como a primeira e única vez que um cachorro foi indicado ao Oscar.

16. A Bela e a Fera foi o primeiro longa de desenhos animados indicado na categoría melhor filme. Foi em 1991.

17. Woody Allen conseguiu em 1977 o que só Orson Welles tinha conseguido: ser indicado nos itens ator protagónico, diretor e roteiro. Mas na noite da premiação ele preferiu ir tocar o clarinete com sua banda de jazz.

18. Com sua interpretação de um reporter anão no O ano em que vivemos em perigo, Linda Hunt foi a primeira atriz a ganhar um Oscar fazendo um personagem do sexo oposto.

19. Em 1986, a Academia premiou pela primeira vez um personagem homossexual: foi William Hurt por O beijo da mulher aranha.

20. Em 1931 o western Cimarron recebe o Oscar de melhor filme. Se passaram mais de 60 anos até que outro faroeste foi honrado com o prêmio: foi Los imperdonables, de Clint Eastwood.

Foto da atriz María Cruz da Agência Corbis

5 comentários:

Tico Esteves disse...

Coisas do Oscar! Só dizer que o Hitchcock e o Chaplin não ganharam já é uma heresia!

E essa da "índia" do Marlon Brando então?

Juan, não sei onde você encontra essas histórias, mas são demais!

Um abraço!

Juan Trasmonte disse...

Meu caro Tico, passei dois dias submergido nos meus livros e arquivos de cinema.
Valeu, muito obrigado!
Abs.

m disse...

Dou fé! jijiji

Iêda disse...

Juan,

Obrigado por sua mensagem. To com saudade da blogosfera e to voltando. A mudança foi boa. Agora falta a inspiração e o tempo voltarem...

Adorei seu post! Fui procurar a foto da Linda Hunt. Fantástico ela no personagem masculino.

bjao,
Iêda

Bernardo Guimarães disse...

eis a razão pela qual não dou a menor bola pro tal oscar: como dar crédito a uma academia que jamais premiou charles chaplin? e ainda por cima diz que ao menos em numero de estatuas ganhas, titanic é igual a ben hur. tô fora, não assisto.