quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

Red Hand Day, contra as crianças-soldado





Hoje é comemorado no mundo inteiro o Red Hand Day (Dia da mão vermelha), ação internacional para deter o uso de crianças-soldado.
Crianças ex-combatentes e outras apresentaram hoje na ONU milhares de mãos vermelhas colhidas nos diferentes países no último ano.
Desde 12 de fevereiro de 2002 existe uma resolução das Nações Unidas que proíbe o uso de crianças nas guerras, porém em mais de vinte países, continuam sendo recrutadas crianças, submetidas a todo tipo de abusos e obrigadas a atravessar involuntariamente pela pior experiência que um ser humano pode viver.
O compromisso dos líderes internacionais para acabar com este horror continua sendo muito fraco.
Há uns meses escrevi aqui a história de China Keitetsi, que simboliza essa luta.
Infelizmente, o único país da América Latina que sumou-se ao evento foi Colombia. Pois é, lá sabem sobre isso.



Mais informação no site da Red Hand Day Organization

Foto da comemoração do Red Hand Day na Alemanha
Foto de criança-soldado em Sudão da Agência AFP

6 comentários:

Janaina Amado disse...

Vou lá no site, Juan. Me horroriza criança lutando em guerra. A possibilidade de paz fica adiada pelo menos por mais uma geração. Abração.

Bernardo Guimarães disse...

me envergonhei por não conhecer o red hand day porque se há algo que me causa grande angustia é ver cenas de crianças lutando com armas.
minha mão está vermelha de raiva e vergonha.

Luciana disse...

Juan, é absolutamente inaceitável que "pessoas" tenham coragem de fazer isso com crianças. E são vários países que o fazem. Usá-las em guerras é imperdoável.

Beijos, querido!

Bom final de semana"

Juan Trasmonte disse...

Meu caro Bernardo, não é motivo de vergonha pra você e sim pra mídia que deu nada de divulgação ao assunto por esses lares. E aos nossos políticos. Imagino que ninguém se interessou porque isso não da votos por aqui.
Abraços

Daniela Figueiredo disse...

Não conhecia esta campanha. Lamentável existirem crianças-soldado. Não podemos deixar de mencionar que no Brasil temos crianças recrutadas pelo tráfico de drogas, infelizmente também temos as nossas "crianças-soldado". Beijos, Juan!

Juan Trasmonte disse...

Boa, Dani, nem tinha pensado nisso. Mais razão ainda para exigir o envolvimento da liderança política. Mas claro, isso já seria também reconhecer a existência, dar o status de crianças-soldado no Brasil.
Está difícil.
Beijos, amiga