segunda-feira, 20 de abril de 2009

Cinema Paradiso em Uruguai



Tinha destino de templo evangélico ou supermercado, mas o cinema Helvético, da pequena cidade de Colonia Suiza, em Uruguai, continua sendo cinema.
Construída em 1912, a sala era o eixo da vida social do povo. Porque cinemas, como igrejas, eram isso, um espaço de socialização. Lá se encontravam as famílias, os namorados; lá se estreavam os filmes e também as moças na vida adulta. E nas cidades pequenas como Nova Helvecia, o nome real da cidadezinha conhecida como Colonia Suiza -que tem 11.500 habitantes- o cinema sediava os bailes de carnaval, os comícios e as assembléias dos vizinhos.
Pois bem, em 1985, o Helvético foi a falência, como tantos cinemas antigos que não conseguiram manter a estrutura, na medida em que os costumes e a economia mudaram. A dona não conseguiu driblar as dívidas e colocou à venda o velho cinema de arquitetura art-nouveau.
Mas os vizinhos não aceitaram esse final. Organizados, foram bater portas, pedir empréstimos, fazer concursos e sorteios para arrecadar dinheiro. Um pouquinho daqui outro pouco de lá, a prefeitura deu uma força e o Helvético reabriu as portas em 1998.
Mas em 2001 veio outra crise, outro devaneio do mundo financeiro que faz alguém espirrar na Austrália e a gente ter que correr atrás das aspirinas. De novo o sonho parecia ir por água abaixo, mas os cidadãos não se renderam e conseguiram que o Helvético fosse tombado.
Agora acabaram de pagar as dívidas e no sábado fizeram uma festa para comemorar. O povo inteiro comparaceu.
Lógico. O que era deles ficou com eles.

Foto do Cine Helvético, na Colonia Suiza, Uruguai, quando foi reaberto em 1998, de Nora Mazzini

4 comentários:

Bia Alves disse...

Que sejam aventurados todos os Alfredos e Totós que lutam pelas salas da sétima arte!
Sem esquecer do Juan Trasmonte, claro.

Mengo!

Bia Alves.

Bernardo Guimarães disse...

juan:
acabo de recebar meu cd, que já está rodando. meu filho pirou com o cd da torcida do boca, atual trilha sonora no carro dele.
um abraço.

mara* disse...

O nível cultural do povo uruguaio sempre foi muito, muito bom. Por aqui venceu a mediocridade, o teatro centenário transformou-se num templo do megaempresário Edir Macedo, o cinema e um supermercado. Cada povo tem o que merece. Parabéns povo uruguaio por abraçar a cultura.Beijo grande Juan.

maria guimarães sampaio disse...

Assino o texto de minha quase xará MARA aí de cima.