sexta-feira, 24 de abril de 2009

Chavela Vargas faz noventa anos em paz


"Eu saí dos infernos, e foi cantando"

A cantora Chavela Vargas, que levou a música mexicana aos palcos do mundo, fez noventa anos no dia 17 de abril.
A data foi comemorada com um show onde marcaram presênça Lila Downs -a herdeira segundo Chavela- e Julieta Venegas. A intérprete de Macorina, também foi cumprimentada através do vídeo pelo diretor Pedro Almodóvar -responsável pelo renascimento popular da cantora quando estava esquecida e ele incluiu as músicas dela nos seus filmes- e pelo cantor Joaquín Sabina, que lhe dedicou a música Por el boulevard de los sueños rotos (Pelo calçadão dos sonhos quebrados) e a batizou "La dama del poncho rojo", pelo poncho vermelho que é sua marca registrada nos palcos e fora deles.
Chavela nasceu em Costa Rica mas morou desde criança no México. O compositor José Alfredo Jiménez abriu o caminho para que ela gravasse seu primeiro disco em 1961.
Amante de Frida Kahlo, dizem que de jovem andava com um charuto na mão e uma pistola na cintura.
Bebeu todas, perdeu-se no inferno e voltou.
Longe dos palcos desde 2006, mora sozinha em Tepoztlán, perto do Distrito Federal. Passa os dias com sua cachorra Lola, lendo e conversando com as vizinhas.
Segundo a amiga María Cortina, que organizou a comemoração dos noventa anos, "Chavela não deixa nada escrito, não tem bens materiais. Só sua casa e seu poncho vermelho".

Foto de Chavela Vargas da Agência EFE

8 comentários:

Nana disse...

olá Juan!!
Obrigada pela visita ao blog! Como já havia dito, serão apenas escritas corriqueiras...espero que goste! Vou passar sempre por aqui também.
Parabéns pelo blog...estou butucando ele todinho!!

a Blusa do casal dançando Tango está fazendo o maior sucesso aqui...sem dúvidas, foi uma boa compra!

um abraço!

Anônimo disse...

Eu tenho, em vhs, um documentário sobre Chavela Vargas. Ela nunca esqueceu Frida como mantém aceso o ódio por Diego Rivera. Nesse filme ela conta que qdo parou de beber e se recolheu, houve passeata em sua rua com a presença do prefeito da cidade do México. Conta tb que usava a pistola para se defender...rs

Besitos

Bia Alves

Bernardo Guimarães disse...

porreta esta chavela: bebeu todas, fumou charuto, usou pistola na cintura, visitou o inferno. viveu pra cacete e hoje nem precisa algo mais que um poncho vermelho...

maria guimarães sampaio disse...

Só você, Juan, para me dar esta alegria matinal com notícia dos 90 anos da grande Chavela. Ouço muito ela. Beijos gratos.

Sandra disse...

Gosto muito de música mexicana e da Frica Kahlo e... da comida mexicana também... A cantora Julieta Venegas faz um par na música "Miedo" com Lenine que é um verdadeiro espetáculo. Vou agora, ouvir a Chavela Vargas no youtube. Bjs.

mara* disse...

Chavela, como Frida, deixará um legado que não tem preço: a sua desenvoltura diante do amor, do sexo e do prazer. Mulheres movidas pelo amor, uma vida vivida sem culpa nenhuma.

Luciana disse...

Olha, sou obrigada a confessar a minha ignorância... a maioria dos artistas que você publica aqui, com suas respectivas histórias, eu desconheço, e essa cantora é só mais uma... mas do jeito que você conta, dá até vontade de conhecer, ouvir, saber mais...
Seu blog é, acima de tudo, um banho de cultura!
Continue com essas aulas deliciosas!
Beijos!

Chavelinha disse...

Chavela é o ser mais impressionante da música. Devoro todo que contenha seu nome.
Ela é sensacional. Adorei a postagem.