domingo, 17 de agosto de 2008

Enquanto isso...


...Marion Jones assiste os Jogos Olímpicos de Pekim na cadeia.
Não vamos defender o engano nem a mentira, mas o fato da atleta estar cumprindo com sua pena de seis meses de prisão soa, no mínimo, exagerado.
Ela já tinha sido suspensa até 2009 e tinha sido obrigada a devolver as cinco medalhas que obteve em Sydney 2000. Como se não fosse punição suficiente, imprimiram um carater exemplificador na sentença, que chegou a ter um pedido de comutação recusado pelo presidente. A velha dupla moral dos estadounidenses venceu essa carreira.
Marion Jones é o reflexo de uma sociedade que divide às pessoas entre winners e losers, num país que tem o maior consumo de cocaína do planeta, mas foca esse outro eixo do mal na Colômbia; um pais cujo presidente despede os atletas chamando-os de "embaixadores da liberdade".
Se tudo vale para não ser um excluído social porque o resultado teria que ser diferente?
Hoje o mundo, os sponsors e a mídia têm novos reis e rainhas da velocidade. Enquanto isso, os picaretas de plantão procuram novas maneiras de driblar os testes de doping.
O COI, as autoridades, os juízes e até os presidentes sabem bem o que fazer com quem sair da linha. Sabem bem que o melhor exemplo é a pimenta nos olhos dos outros.

Foto de Marion Jones de Mike Segar

2 comentários:

mara* disse...

é a política dos EUA, punir os famosos para servir de exemplo. apoio essa iniciativa, só quem tem uma droga de um drogado, que destrói a tudo e a todos, na família sabe a merda que é...os nossos famosos, em suas festinhas oferecem, aos seus convidados, papelotes de cocaína em bandejas de prata, atores globais flagrados são contemplados com papéis principais nas novelas, por aqui, é a impunidade servindo de exemplo.

Um abraço e boa semana.

R. D´Elia disse...

CLAP CLAP CLAP CLAP!