terça-feira, 26 de agosto de 2008

Ciganos simbolizam o medo do outro



O blog Babel.com da amiga Letícia Castro sumou-se à campanha contra a sistemática perseguição aos ciganos na Itália.
Em primeiro termo, agradeço a Letícia pela sua contribuição. Tenho certeza que os numerosos leitores que visitam o blog dela vão trazer mais assinaturas.
Com ajuda para escrever em francês para pessoas não francesas, troquei e-mails com o pessoal do A Voz dos Ciganos. Eles me disseram que aumentou o número de assinaturas vindas do Brasil, país que acumula o setenta por cento do tráfico do meu blog. Acredito que com o apoio do Babel.com esse número irá crescer mais ainda.
No Nemvem Quenaotem a "extranjería" (adoro essa palavra em espanhol) é um dos pilares. Todos os dias me chegam mais e mais notícias desse desprezo aos estrangeiros na Europa. As vezes nem coloco porque acho que vai ficar meio over, mas minha indignação com o assunto fala mais alto. Podemos sim contribuir com nossas vozes e com nossos atos cotidianos para afastar o etnocentrismo e o medo do diferente. Afinal é isso. Freud explica. O que é que o outro está dizendo ou mostrando de nós e que nós não queremos enxergar?
Isso vale também pra gente, que adoramos essas rixas argentinos x brasileiros ou paulistas x cariocas e tal.
Ciganos, o povo rom, segundo pesquisas, são os mais segregados na Europa, por isso são também emblemáticos nessa luta. Porque só haverá integração nas diferênças e pelas diferênças. Isso vale pro mundo e pro quintal. Só depois de atravessar esse rio, a Europa poderá ser chamada de comunidade.

Foto antiga, sem crédito, de ciganos deportados

4 comentários:

ronaldju disse...

Caríssimo Extranjeiro,
temos que transformar em ondas e fortes correntes nossa indignação contra essa "ordem" que está fora da ordem do mundo. Os negros também são massacrados na Europa. O mar é testemunha do sofrimento e do drama que há nessa travessia que começa na África.
Não acho over falar. Não podemos é nos acostumarmos ao silêncio.
Eu também penso que às vezes as pessoas não estão nem aí para o arco de fogo que consumirá aos poucos a Amazônia. O fogo é real. E queima. E mata. E inquisitorial.
Só que a devastação é um problema de todos e espero que a indiferença ou ignorância não sejam irreversíveis como parece ser a destruição de tudo por aqui, onde vivo.
Abração

Letícia disse...

Com certeza,amigo, vamos continuar contribuindo. A luta contra o preconceito é de todos. O Babel vai gerar muitas assinaturas tb, se Deus quiser.
Besototes!

Juan Trasmonte disse...

Verdade Ronaldju, se vc entrar aqui no marcador "vida estrangeira" vai encontrar também muitos textos meus sobre a questão dos africanos que chegam à Europa pela Espanha.
Pelo menos nossas vozes vão contribuir para que mais pessoas estejam informadas sobre a questão, que já é um primeiro passo.
Muito obrigado pela sua visita
Abração

Juan Trasmonte disse...

Valeu Lelê! Não sei porque, mas cismei em colocar teu nome com "z" nessa psotagem, como se eu nunca tivesse escrito rssss
Ontem tava acabadaço. Vou editar agora, por um dia vc ficou Letízia, igual a princesa da Espanha rsss
beijos