sexta-feira, 26 de janeiro de 2007

O erro da carne



Minha mão desvairada
desastrada descabida
tinta-dependente
independente
do decente
pela frente
pelo avesso
minha mão presa
no excesso
procurada resposta
no começo
minha mão
cão sem dono
pinga sangue
chama carne
no meu corpo
único pedaço
de carne
que não posso
governar.

Juan Trasmonte (Todos os direitos reservados)
Foto de Stephane Réthóre

Um comentário:

Alessandra disse...

"...no meu corpo
único pedaço
de carne
que não posso
governar."
Super, Juan!!! Delícia!
De vez em quando passo aqui pra te ler, já que ainda não dá pra te ver.
Beijos, Ale