segunda-feira, 30 de março de 2009

Liberar (d)os outros



Eu vim aqui para me liberar dos outros
e para liberar os outros de mim

o vento parou nas pedras
no dia da criação
predação caça e conquista
outra pele sobre a pele
em cada sangue houve um outro
as pazes inventaram ilusão
as pazes sempre fugazes
a impronta do suor ficou nos portos
a rede a peixaria que sustenta
e a mão onde a esperança se revela.

Nas terras sossegadas tirou os sapatos
o homem urbano
e assim se fez a dor e a maresia
banhou os ares destas praias
a cada dia andar armar a vida
e a cada nova terra ser um outro

eu vim aqui para me liberar dos outros
e para liberar os outros de mim.

Liberar (d)os outros, de Juan Trasmonte (Creative Commons)
Foto de
Yanyel (Yanire Fernández)

3 comentários:

Tico Esteves disse...

Olá Juan, tudo bem?

Rapaz, depois você vem falar da minha criatividade né? Queria eu conseguir escrever assim!

Grande abraço!

Bernardo Guimarães disse...

como pode um gringo escrever assim na lingua alheia? perfeita!
a propósito: chego dia 2 cerca de 23 h a B.A. e estarei no dazzler tower maipu ( o nome é horrível! que mania a nossa!...)
gostaria muitissimo de estar com vc para um café e uma foto, pra botar agua na boca dos de cá.

Luciana disse...

Muito lindo esse texto! Criativo, sensível e reflexivo!

Beijos, Juan! Bom final de semana!