terça-feira, 3 de março de 2009

Espanhóis são os outros



Segundo um estudo publicado hoje na Espanha, a maioria dos adolescentes da chamada Segunda Geração (filhos de imigrantes nascidos na Espanha ou morando lá desde pequenos) não querem ficar naquele país. Para o trabalho, que foi realizado pela Universidad Pontificia de Comillas, junto com a Universidade de Princeton e a Universidade de Clemson, foram consultados 3.375 estudantes do ensino público e particular.
O relatório diz ainda que nas escolas são freqüentes as brigas entre jovens de diferentes nacionalidades e que 53% dos entrevistados manifestaram a intenção de assistir à universidade, mas menos da metade desses acredita que vai conseguir.

Uma boa parte deles -mesmo nascidos no território europeu- não se consideram espanhóis. 60 nacionalidades foram representadas na mostra. Os países de origem predominante são Equador, Colômbia, Romênia e Marrocos.
Ao mesmo tempo, hoje o governo espanhol anunciou um programa de retorno para mais de cem mil imigrantes, dos chamados sem papéis.

Foto, Reunión, de Risabhadeva Maldonado, ganhadora do concurso Infancia Inmigrante: La Generación del Futuro

3 comentários:

Helda disse...

Sou neta de espanhóis, tô tentando conseguir minha dupla cidadania, mas ainda assim não me considero espanhola ou européia. Acredito que seja uma questão cultural mesmo, afinal o que esses adolescentes vivem em casa é a cultura do país de seus pais, assim como os filhos de japoneses que nasceram no Brasil, eles vivem a cultura japonesa e se consideram principalmente japoneses e não brasileiros.

É a 1° vez que visito seu blog e já virei fã, adorei o post.


PS: O que é esse programa de retorno de imigrantes??

Juan Trasmonte disse...

Helda, antes de mais nada, muito obrigado pela visita, fique a vontade.
Também tenho uma parte do sangue espanhol, embora não penso usar isso para ir morar lá, vejo mais como uma reparação aos meus avôs.
Eu pensei exatamente isso, muitos desses jovens convivem com pais que estão lá por necessidade. O que acaba conformando a nacionalidade afinal, é a tradição cultural.
Pelo que eu sei esse programa é algum tipo de ajuda do Estado espanhol pros imigrantes voltarem aos países deles. Na verdade, é um jeitinho políticamente correto de iludir o problema que vem pros próprios espanhóis com o desemprego, que já é de 3,5 milhões.
A pergunta que não quer calar é: irão os espanhóis fazer o trabalho que os imigrantes fazem, na colheita e tal?
Abs.

Luciana disse...

Puxa,Juan, que coisa triste, tantos imigrantes e ainda considerados "sem papéis", como se fossem indigentes. E a gente pensa que o Brasil é campeão em problemas sociais. Pelo menos esse tipo de problema aqui não há. Beijão!