sábado, 13 de setembro de 2008

Vinil faz 60 anos e resiste


O engenheiro da CBS Peter Carl Goldmark , um húngaro formado em Berlim que chegou aos Estados Unidos em 1933, criou em 1948 o disco de longa duração, o nosso caro vinil, também chamado de LP, long play, bolachão ou como eu aprendi em espanhol el vinilo.
A novidade trazia sulcos menores e a velocidade de 33 1/3 RPM e permitia gravar até 25 minutos por lado.
A outra grande novidade era que o vinil custava menos do que os cinco discos de acetato que eram precisos para a mesma quantidade de música gravada.
Na década de cinqüenta se popularizou o uso do vinil e em 1958 foram lançados os primeiros discos em estéreo gravados em dois canais e ainda a Philips introduziu a fita casete.
Todos os que achávamos que o maior inimigo do vinil era a poeira no começo dos anos noventa descobrimos que foi o cd que deixou o vinil na agonia.
Mas parece que igual o samba, o nem tão velho bolachão agoniza mas não morre. DJ's e colecionistas, fetichistas e adoradores do vintage ainda garantem a sua existência.


A ilustração foi achada no site RecordBrother
Foto do toca-discos de Annie Leib
Foto de Peter Carl Godmark do arquivo da AIP

3 comentários:

maria guimarães sampaio disse...

Andava triste com minha muda coleção de vinil. Eis que surge um aparelho "nostalgia com tecnologia" que toca vinil, toca fita e um ou outro... GRAVA NO CD. É uma peça pequena, maravilhosa

Tâmara disse...

Put´s ...Obrigada pela visita ao INTIMIDADE. Volte sempre que quiser e puder.È so tirar os sapatos , pegar uma cerveja ou qualquer destilado com muito gelo e ouça uma musica. A casa é nossa!

Well well well...
Vamos ao post

Cara,eu sou colecionadora nata de discos de vinil. Tenho raridades...muita coisa mesmo. Vai de The Doors á Charles Asnavour...E ainda tenho uma vitrola bem antiga que consegui comprar por uma bagatela de pouquissimos reais so me deixar louca nos delirios da sonoridade.

Pirei Total!

Bjos!

LETÍCIA CASTRO disse...

O Nemvem tem que ser degustado como se deve, como absinto, goles pequenos pra desgustar o prazer e deixar que o vício tome conta da vida, porque é de lei. O puxão de orelha foi merecidíssimo. Verguenza, mucha verguenza!!! rs Responderei no e-mail.
Domingo é dia bom pra ganhar presente, vc não acha não, loco? passa no Babel depois e pega o teu... ; )
Neshikot!